O cavalo de Hackney e seu trote alto característico

Cavalo hackney

Fonte: YouTube

A raça de cavalos Hackney, também chamada de Norflok Trotter, é de origem britânica e é muito apreciado por sua grande versatilidade. O nome da raça deriva do termo anglo-saxão Hnegan, o que significa relinchar. Este termo se fundiria com o normando hackeado que viria a ser uma derivação da palavra latina equus. Já na denominação da raça podemos começar a vislumbrar a antiguidade dela. O termo Hackney já foi escrito no século XNUMX na Inglaterra.

Estes equinos Caracterizam-se sobretudo pelo trote que possuem, elevado e único. Foi precisamente dessa característica que ele derivou seu apelido de "O Aristocrata das Exibições". Nós os conhecemos um pouco melhor?

A raça Hackney, graças ao seu movimento no trote e ao porte, é bastante conhecida nas pistas equinas, destacando-se no modo de engate. São equinos com boas aptidões para adestramento, competição e exibição. Portanto, é fácil encontrá-los em disciplinas como saltos, adestramento ou exibições de tiro.

Como é o cavalo de Hackney?

Com uma altura que ronda os 155 cm, estamos perante cavalos inteligente e muito fogoso. Pode-se dizer deles que são cavalos poderosos com uma forma harmoniosa. Neles destaca-se o seu trote espetacular: notavelmente, levante as mãos e aperte muito os quartos traseiros, fazendo um movimento arredondado. É este movimento que os tornou famosos no mundo da exposição equina.

Eles têm uma cabeça bastante pequena, um tanto convexa, com um perfil retilíneo, onde há dois olhos grandes. A cabeça é coroada com orelhas pequenas e móveis que parecem estar sempre alertas. Seu pescoço é longo e curvo e leva a ombros fortes e um peito largo.

O corpo desta raça é muito compacto e bem formado. Possui dorso musculoso, costelas arredondadas e garupa.

Seus membros são médios e acabados em casos arredondados e rígidos. Ele tem muitos músculos em seus antebraços e joelhos longos e bem formados,

Seu pelo sedoso geralmente tem camadas castanhascastanhas, castanhas escuras ou castanhas, sendo o último o mais comum. Nos primeiros séculos da raça, também podiam ser encontradas as capas Tobiano preto e Tobiano colorido, embora hoje estejam extintas.

Durante o século XIX e início do século XX, os casacos escuros, malhados e castanhos eram preferidos, mais apropriados para vigiar um carro. Por exemplo, cores mais claras como o castanho, o castanho dourado, o castanho avermelhado só foram bem vistas até ao meio-dia.

Como curiosidade, também existem Pôneis Hackney (com uma altura na cernelha de cerca de 142 cm.) cujo trote gracioso se assemelha ao dos cavalos. Neles, a ação arredondada do trote é muito mais pronunciada, quando levantam os joelhos e encolhem os posteriores de maneira que os jarretes passem por baixo do corpo.

Pônei Hackney

Fonte: youtube

Um pouco da sua historia

Na Inglaterra do século XNUMX, os criadores de cavalos pareciam estar interessados ​​em descobrir qual era a melhor raça de cavalos trotadores. O objetivo era cobrir suas famosas éguas inglesas com garanhões trotando. Entre este século e o próximo, foram lançadas as bases para muitas das raças britânicas mais conceituadas de hoje. Tudo fruto do trabalho dos criadores, que alcançaram registos muito extensos das raças da ilha.

A raça Hackney como tal surgiu em Grã-Bretanha no século XVIII. Embora no início eles fossem usados ​​principalmente como cavalos de tração e selaHoje podemos encontrá-lo em um grande número de modalidades equestres. Tudo graças à sua versatilidade.

O primeiro cavalo desta raça nasceu em Norfolk (Inglaterra) em 1760. A partir daquele momento e graças aos cavalos trotadores de Norfolk e Yorkshire, esses novos equinos foram se desenvolvendo e adquirindo suas próprias características até se tornarem sua própria raça.

Entre os ancestrais da raça Hackney do lado paterno, podemos encontrar uma raça puro-sangue da linha árabe Darley. Em 1797, o esporte do trote foi amplamente integrado à vida inglesa. As éguas com tais andamentos eram muito apreciadas. Tanto eles quanto as éguas da variedade de cavalos de carga eram usados ​​pelos criadores para fortalecer as características do Hackney da época.

Tornou-se uma raça muito valiosa. Foi um dos cavalos de sela favoritos entre as mulheres devido ao seu trote. A partir do final do século XVIII e durante a primeira metade do século XIX, a raça era utilizada principalmente como cavalo de sela. Também é altamente valorizado para corridas de corrida primitivas.

Seu trote rápido particular e sua ação tornavam-nos cavalos altamente admirados. Isso produziu aquele Criadores de cavalos norte-americanos escolheram esta raça para melhorar seus próprios característica de características mais leves.

Nestes séculos, a comunidade agrícola descobriu um cavalo útil na raça Hackney. Além de servir como cavalo de sela, ele poderia cuidar da fazenda em certas ocasiões.

A chegada da ferrovia

Com a invenção da ferrovia, a corrida de Hackney estava em perigo. As pessoas começaram a perceber que era mais rápido viajar de trem do que a cavalo. O caminho de ferro logo substituiu o trabalho feito por um grande número de cavalos trotadores. Muitos criadores pensaram que a era dos cavalos havia acabado para sempre e pararam de fazer o trabalho de criação. Porém, a Hackney Horse Society moveu-se rapidamente e resgatou a corrida de Hackney derivando sua utilidade para outras tarefas. A raça estava ganhando seguidores que viam esses equinos como excelentes cavalos para lazer. Foi um bom ponto a favor da raça que naquela época começou a surgir o gosto por cavalos de andadura alta, de boa aparência. Portanto, alguns criadores focaram nesse caminho. A fama do Hackney britânico começou a se espalhar pelo mundo.

Com o passar do tempo, a raça cresceu em exemplares, adquirindo e fortalecendo as características que hoje o representam. Para alcançar isto, na genética de Hackney, muitas raças participaram equinos. Alguns são: os cavalos de trote Norfolk e Yorkshire, os frísios, os normandos, os Galloways e até os andaluzes.

Espero que você tenha gostado de ler este artigo tanto quanto eu gostei de escrevê-lo.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Um comentário deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   jaime dito

    Muito obrigado por compartilhar esta informação. Eu me pego compilando lendas sobre esses equinos, para o desenvolvimento do Turismo Equestre, depois de revisar os fenótipos e os centauros que voavam em suas costas. A cultura equestre em cada país é enorme.

    lembranças

    Quíron